Número de consumidores da Compagas cresce 14%

A Companhia Paranaense de Gás (Compagas) encerrou 2016 com 36,1 mil consumidores atendidos com gás natural no Estado. O crescimento em relação a 2015 foi de 14% entre todos os segmentos em que atua. A empresa finalizou o ano passado com 35.528 consumidores no segmento residencial, 458 estabelecimentos comerciais atendidos, 166 clientes do setor industrial, 36 postos abastecidos no segmento veicular e uma usina termelétrica – a Usina Termelétrica a Gás de Araucária (Uega).

O segmento residencial é o grande destaque e já representa 98% da base de clientes da empresa. De janeiro a dezembro, 89 prédios da capital paranaense passaram a utilizar o gás natural, somando 4.370 novos domicílios atendidos. Ao todo, são 735 edifícios em Curitiba em que os moradores usam o sistema para as principais atividades do dia a dia, desde o preparo de alimentos, ao aquecimento de água da pia, do chuveiro ou da piscina. Além da Capital, um edifício em Ponta Grossa também é atendido pela Compagas.

Pela quarta vez consecutiva, a companhia encerrou o ano como a maior distribuidora de gás natural no segmento residencial em relação ao volume comercializado – ficou atrás somente das distribuidoras de São Paulo e Rio de Janeiro – e como a sexta maior em número de clientes no setor, de acordo com os dados consolidados da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás).

A expectativa da empresa é que o número de residências atendidas com gás natural aumente. Já são cerca de 20 bairros com fornecimento em Curitiba e a Compagas tem planos de expansão para o segmento residencial em Araucária e em Ponta Grossa.

Mesmo em meio à recessão no setor, a carteira de clientes industriais da Compagas também cresceu. Em 2016, 12 indústrias iniciaram o consumo do gás natural e 13 novos contratos de fornecimento foram fechados. No segmento comercial, a distribuidora passou de 436 estabelecimentos atendidos em 2015 para 458 em 2016. No ano, a Compagas também fechou mais 28 contratos no segmento com início de fornecimento previsto para 2017.

O Gás Natural Veicular (GNV) se manteve vantajoso durante todo o ano passado, principalmente em função das diversas altas de preço dos combustíveis líquidos. Em 2016, a economia média do GNV em relação ao etanol e à gasolina foi em torno de 40%. Em função desta vantagem econômica, a frota de veículos com gás natural cresceu. No Paraná, o número de conversões de carros para o uso do GNV foi 151% maior que no ano anterior. Em 2016, 691 carros iniciaram o uso do combustível e a frota paranaense de usuários do GNV chegou a 34.383 veículos.

INVESTIMENTOS – Em 2016, a Compagas executou obras com o objetivo de expandir a rede de distribuição nos municípios já atendidos pela companhia, além de interiorizar a utilização do gás natural. No período, a malha de dutos cresceu 18 quilômetros, alcançando 800 quilômetros.

Este crescimento exigiu um investimento de aproximadamente R$ 25 milhões. No mercado urbano, R$ 6,8 milhões foram destinados à construção de 10,5 quilômetros de rede e à ligação de 4,4 mil empreendimentos residenciais e comerciais. No setor industrial, mais de R$ 2,9 milhões foram direcionados para a execução de 3,8 quilômetros de ramais e projetos para ligação dos clientes.

A maior parte dos recursos foi aplicada na região dos Campos Gerais. Foi investido R$ 1,4 milhão para cumprir o trecho de 2 quilômetros das obras da primeira fase do projeto, que vai levar gás natural ao segmento residencial em Ponta Grossa. A meta da companhia é construir, no total, mais de 6 quilômetros de rede de distribuição para atender, inicialmente, cerca de 600 apartamentos. Com este projeto, Ponta Grossa será o segundo município do Paraná a ter abastecimento residencial urbano de gás natural, depois de Curitiba.

Para o projeto que contempla o segmento industrial dos municípios de Ponta Grossa, Carambeí e Castro, foi feito um investimento de R$ 6,6 milhões. O projeto total tem um traçado de 75 quilômetros de dutos interligando os municípios. As obras estão finalizadas e a previsão é que a operação da rede comece ainda no primeiro trimestre deste ano.

Na Região Metropolitana de Curitiba foi executado 1,4 quilômetro de rede para a construção do ramal Capela Velha, em Araucária, com investimento de R$ 1 milhão. Este projeto visa atender, numa primeira etapa, três condomínios do bairro Capela Velha, somando mil apartamentos, a partir de outubro de 2017. Com isso, Araucária será a terceira cidade do Estado do Paraná a ter abastecimento residencial de gás natural.

Ainda na Região Metropolitana da capital paranaense, cerca de R$ 700 mil foram destinados às obras de ramais do Projeto Nordeste RMC, que contempla os municípios de Colombo, Quatro Barras, Pinhais e Campina Grande do Sul. Outros R$ 190 mil foram direcionados para os projetos que visam ligar a rede de distribuição aos municípios de São Mateus do Sul e Lapa.

COMPAGAS – Concessionária responsável pela distribuição de gás natural no Paraná, a Compagas é uma empresa de economia mista, que tem como acionista majoritária a Companhia Paranaense de Energia (Copel), com 51% das ações, a Gaspetro, com 24,5%, e a Mitsui Gás e Energia do Brasil, com 24,5%.

Em março de 2000, a empresa tornou-se a primeira distribuidora do Sul do País a fornecer o gás natural, com a inauguração do ramal sul do gasoduto Bolívia – Brasil (Gasbol).

Atualmente, a Compagas conta com 36,1 mil clientes dos segmentos residencial, comercial, industrial, veicular e geração de energia elétrica. Está presente em 17 municípios – Araucária, Curitiba, Campo Largo, Balsa Nova, Palmeira, Ponta Grossa, São José dos Pinhais, Colombo, Quatro Barras, Fazenda Rio Grande, São Mateus do Sul, Pinhais, Campina Grande do Sul, Paranaguá, Londrina, Carambeí e Castro.

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governopr e www.pr.gov.br

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
  • Cotações do dia