Prefeito cria força-tarefa com secretários e comissionados para combater criadouros do Aedes Aegypti

Paranaguá sai na frente em todo o Paraná e irá realizar ação nesta quinta-feira (27) e sexta-feira (28) para eliminação do mosquito da dengue em sete bairros com maior presença de criadouros para garantir um verão seguro aos cidadãos.

Na tarde desta quarta-feira (26), o prefeito Marcelo Roque convocou todos os secretários municipais na Sala de Reuniões do Palácio “São José”, onde, junto com equipe da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) e 1ª Regional de Saúde (1ª R.S.), anunciou a realização de uma força-tarefa para combate de criadouros do mosquito Aedes Aegypti em sete bairros de Paranaguá que apresentaram um aumento de proliferação de ovos e larvas do vetor. Nesta quinta-feira (27) e sexta-feira (28) cerca de 300 pessoas, envolvendo todo o secretariado, comissionados e voluntários, irão atuar em mutirões com agentes de saúde e de endemias da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) e do Estado nas seguintes localidades: Vila Garcia, Alexandra, Jardim Iguaçu, Vila Nova primavera, Ilha dos Valadares, Parque Agari e Emboguaçu.

“O assunto dengue é extremamente preocupante e este aumento de criadouros é alarmante. Iremos tomar uma atitude bem antes da chegada do verão, período de maior proliferação do mosquito, onde todos os nossos comissionados e secretários na rua estarão em um mutirão nesses sete bairros, disponibilizando todo o equipamento da Prefeitura para esta eliminação de criadouros. A Guarda Civil Municipal (GCM), com fiscais do município, irá inclusive multar casos de reincidência de criadouros do Aedes Aegypti. Iremos trabalhar na conscientização da população, pois a epidemia de dengue que ocorreu em 2016, causando falecimento de 35 pessoas de Paranaguá e mais de 10 mil casos da doença, não pode voltar de jeito nenhum”, afirma o prefeito Marcelo Roque.

Segundo o prefeito, a momento é de se adiantar antes de qualquer tragédia acontecer. “Não podemos esperar o pior acontecer. Se tivermos que pegar todo o efetivo da Prefeitura para trabalhar nas ruas removendo criadouros e conscientizando população, assim iremos fazer. Pedimos encarecidamente para que a população nos ajude, a maior parte dos criadouros fica dentro das casas dos munícipes, portanto este problema é de toda a sociedade”, completa.

Segundo a superindentente de Vigilância em Saúde da Sesa, Cleide de Oliveira, a força-tarefa criada pelo prefeito trouxe um otimismo de que a ação conjunta irá impedir que os casos de dengue sigam totalmente controlados em Paranaguá. “Vivemos um lição no município com a triste epidemia entre 2015 e 2016 que ceifou vidas em Paranaguá. Temos que nos adiantar. Através de equipes de epidemiologia em parceria com a Universidade Federal do Paraná (UFPR) detectamos um aumento de infestação do Aedes Aegypti em Paranaguá e esta atitude busca evitar a volta da epidemia”, completa.

“Quero dizer para o prefeito Marcelo Roque que estou aliviada com a sua postura e de saber que juntos iremos somar esforços para seguir controlando a dengue em Paranaguá”, afirma a superintendente. “Cada cidadão tem que ter responsabilidade social perante a sua residência e cobrar de seus vizinhos e familiares a eliminação constante de possíveis criadouros do Aedes Aegypti. Paranaguá sai na frente perante todo o Paraná e previne contra a dengue para um verão mais seguro aos cidadãos”, completa.

Equipes serão mistas com voluntários, comissionados e agentes com mais experiência no combate aos criadouros

Na reunião, foram estabelecidas sete equipes com todos os secretários municipais, cargos em comissão e voluntários que irão atuar na Vila Garcia, Alexandra, Jardim Iguaçu, Vila Nova primavera, Ilha dos Valadares, Parque Agari e Emboguaçu, sob o comando da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) e Sesa. Junto ao Estado, o prefeito assinou termo de compromisso para intensificação da limpeza urbana e recebimento de caminhões fumacê que irão atuar na eliminação de mosquitos alados após a retirada dos possíveis criadouros das milhares de residências que serão alcançadas com a operação e nas próximas semanas. Agentes de saúde e de endemias da Prefeitura e do Estado comandarão as equipes de trabalho, atuando também na aplicação de larvicida em locais de difícil alcance.

“Esta é apenas a primeira ação. Iremos atuar constantemente nos próximos meses em mutirões nos bairros para evitar que aumente a proliferação do Aedes Aegypti em Paranaguá”, destaca o prefeito. Dezenas de fiscais, guardas civis ambientais utilizarão também a Lei Federal 13.301/2016, que autoriza a entrada de agentes em residências abandonadas ou nos casos de casas onde os moradores não permitem a entrada para apuração de possíveis criadouros do mosquito. Um drone também será utilizado para colaborar na fiscalização das residências.

“O mosquito é o grande vilão e a 1ª Regional de Saúde está à disposição para unir esforços e continuarmos a controlar a dengue em Paranaguá. O momento é de seriedade e pedimos para que a população nos ajude, abra a porta de suas casas e realize continuamente a fiscalização de possíveis criadouros nas áreas internas”, afirma a chefe da 1ª Regional de Saúde, Ilda Natsuko Nagafuti.

A reunião teve a presença do vereador Nilo Monteiro, representando a Câmara de Paranaguá.

SERVIÇO

Força-tarefa – Prefeitura de Paranaguá e Sesa – Eliminação de criadouros do mosquitos Aedes Aegypti

Dias: Quinta-feira (27) e sexta-feira (28)

Início: 8h

Bairros alcançados: Vila Garcia, Alexandra, Jardim Iguaçu, Vila Nova primavera, Ilha dos Valadares, Parque Agari e Emboguaçu.

Foco: Eliminação de criadouros do mosquito nos milhares de residências dos sete bairros.

A Prefeitura de Paranaguá pede para que a população colabore com as equipes, permitindo a entrada dos agentes e colaborando constantemente na eliminação dos criadouros do mosquito Aedes Aegypti.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
  • Cotações do dia
LBV — SOS MANAUS

LBV — SOS MANAUS

LBV abre posto de arrecadação em Manaus para receber doações e intensificar o atendimento a famílias mais vulneráveis que sofrem…