Primeiros 30 dias do Verão Paraná 2017/2018 na Costa Leste tem redução de 13.6% de roubos, aumento de 147,7% número de prisões e de serviços oferecidos ao cidadão

O balanço dos primeiros 30 dias do Verão Paraná 20017/2018, divulgados pela Coordenação do programa nesta segunda-feira (22/01), aponta aumento de 141,7% de pessoas presas, redução de 13,6% no número de roubos e 2,5% de furtos, além do acréscimo de 10,8% na lavratura de Termo Circunstanciado por perturbação de sossego, em comparação com o mesmo período do ano passado.

Primeiros 30 dias do Verão Paraná 2017/2018 na Costa Leste tem redução de 13.6% de roubos, aumento de 147,7% número de prisões e de serviços oferecidos ao cidadão

Além disso, o esforço conjunto das secretarias e órgãos do Estado elevou as condições de banho nas praias (apenas dois dos 49 pontos estão impróprios para banho em todo o litoral) e as tendas de testes rápidos da Secretaria de Saúde já fizeram mais de 14 mil atendimentos na orla.

A avaliação do Coordenador Geral do Verão Paraná 2017/2018 e secretário Chefe da Casa Militar, coronel Elio de Oliveira Manoel, é de que houve avanços na qualidade dos serviços prestados aos veranistas nas praias. “Notamos que os turistas, comerciantes e moradores locais estão muito satisfeitos com o que o Governo do Estado tem oferecido até agora. Em todos os aspectos as atividades ofertadas têm alcançado a população, ainda temos um período pela frente e o Governo continuará com a prestação de diversos serviços”, aponta.

SEGURANÇA – A ênfase da Polícia Militar no policiamento preventivo com a aplicação de modalidades de policiamento preventivo e ostensivo e as ações de investigação e inteligência por parte da Polícia Civil tem inibido a prática de crimes e corrobora com a redução nos índices. De acordo com o balanço da Polícia Militar nos primeiros 30 dias da temporada foram registrados 276 furtos e 114 roubos contra 283 do primeiro e 132 do segundo, respectivamente, na temporada anterior. Também foram distribuídas 37.795 pulseirinhas de identificação, 50% a mais que no mesmo período anterior.

A presença diuturna das equipes policiais também resultou em mais prisões: foram 730 pessoas encaminhadas nos primeiros 30 dias do Verão Paraná 2017/2018 contra 302 no mesmo período da temporada anterior, um aumento de 141,7%. Pela Polícia Civil houve 201 lavraturas de flagrante, 28% a mais do que no mesmo período de 2016/2017, quando foram 157. Também houve 442 pessoas conduzidas às delegacias do Litoral contra 375, um aumento de 17% em comparação com os primeiros 30 dias de verão da temporada anterior, além de 215 prisões contra 180, um aumento de 19% em comparação com o último verão.

O Comandante operacional do Verão Paraná 2017/2018 pela PM e do 9º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Rui Noé Barroso, destacou a importância do reforço de efetivo pelo 6º Comando Regional da PM (6º CRPM) com equipes de unidades especializadas da corporação. As ações da Patrulha do Sossego, braço da Ação Integrada de Fiscalização Urbana (AIFU), em parceria com o 9º BPM, resultaram em 312 solicitações atendidas (+14,3%) e 185 Termos Circunstanciados lavrados (+10,8%). O número é superior à temporada anterior quando foram 273 atendimentos e 167 TCs emitidos nos primeiros 30 dias do verão.

“Em relação ao mesmo período do ano passado tivemos um aumento de 10,8% de ocorrências de perturbação do sossego e avaliamos este aumento de forma positiva, pois nesta operação reforçamos as ações preventivas por meio da Patrulha do Sossego. Esse trabalho tem sido mais presente e a confiança, não só da população local, mas também do veranista, tem sido maior”, afirma Barroso.

SAÚDE – As tendas para testes rápidos da Secretaria de Saúde na orla de Matinhos, Guaratuba e Pontal do Paraná totalizaram neste verão 14.608 atendimentos. As unidades de Pronto Atendimento dos municípios litorâneos acumularam 40.948 atendimentos e 1.938 ocorrências atendidas pelo Samu. “Percebemos uma grande adesão da população procurando os testes rápidos para resultados imediatos para algumas doenças como hepatite B e C, sífilis, HIV e medição de pressão arterial e glicemia. Isso nos alegra, pois percebemos que as pessoas estão preocupadas com as questões de saúde”, ressalta Ilda.

BALNEABILDADE E MEIO AMBIENTE– As equipes do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) têm acompanhado a condição da água do mar para banho durante todo o verão e estão monitorando a qualidade em 49 postos ao longo da faixa litorânea. Desse montante apenas dois permanecem impróprios para a utilização (Ponta da Pita em Antonina e a desembocadura do Rio Nhundiaquara em Morretes).

Além disso, o IAP tem atuado na fiscalização do estacionamento irregular em áreas de restinga. “Temos feito orientações aos moradores que insistem em estacionar na restinga para evitar a incidência dessa infração, mas temos feito a notificação que é a parte administrativa”, disse o Coordenador do IAP no Litoral, Paulo Kurslop.

Ainda na área ambiental, o Batalhão de Polícia Ambiental Força Verde (BPAmb-FV) dobrou o número de operações de fiscalização este ano (de 23 para 46), o que resultou em mais apreensões e flagrantes. “Em virtude disso nossas equipes estão flagrando pescadores pescando camarão, o que é ilegal neste período, e fizemos autuações necessárias”, disse o Subcomandante do batalhão, major Manoel Jorge dos Santos Neto. Foram lavrados 54 Termos Circunstanciados contra 23 no período anterior, além de 6 flagrantes neste e 4 naquele.

Também houve operações para coibir a subtração e comércio de palmito in natura, de carvão vegetal e também as atividades para coibir a captura e manutenção de animais silvestres em cativeiro. Neste ano mais de 240 unidades de palmito foram retiradas de comércio, além de 77 aves e 29 animais resgatados. As ações no mar resultaram em mais de 65 quilos de camarão apreendidos.

“Há uma necessidade de conscientização por parte do pescador para que não pesque determinadas espécies de peixe que estão em época de reprodução, como é o caso do camarão. É interessante que haja este respeito para que no futuro eles possam continuar desfrutando”, complementou.

BOMBEIROS – O número de mortes por afogamento manteve-se em 4 casos nestes primeiros 30 dias temporada contra dois no mesmo período do ano passado. Os salvamentos feitos pelos guarda-vidas nos 89 postos espalhados pelas praias chegaram a 936, um acréscimo de 40% em comparação com 2016/2017 quando houve 666 casos. “O número de salvamentos surpreende e se deve ao grande número de pessoas que permanece no Litoral em comparação aos outros anos”, explicou o Comandante do 8º Grupamento de Bombeiros (8º GB), tenente-coronel Jair Pereira.

RODOVIAS – Nas rodovias estaduais que cortam o Litoral, o Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv) contabiliza uma redução de 30% nos acidentes de trânsito e aumento de 60% nas conduções de motoristas embriagados. “Nossa fiscalização em relação à embriaguez foi intensificada e mais de 900 condutores passaram pelo teste”, disse o Subcomandante da 1ª Companhia do BPRv, tenente Cristiano Machado.

O tenente destacou ainda o aumento de 71% nas infrações de trânsito. “Flagramos mais de 8 mil pessoas dirigindo acima da velocidade da via. Além disso, nossos policiais militares têm identificado constantemente a imprudência dos motoristas principalmente em conversões proibidas e ultrapassagem em faixa contínua”, salientou.

SANEPAR – As unidades da Sanepar aumentaram em 6% a produção de água para atender a demanda no Litoral. Além disso, com o projeto Praia Limpa, os profissionais retiraram das areias mais de 480 toneladas de lixo nesta temporada. Não houve casos de desabastecimento, mas se houver a Sanepar possui caminhões pipa preparados para suprir a necessidade.

O Coordenador da Sanepar no Litoral, Arilson Mendes, destacou os recentes investimentos do Governo do Estado para o Litoral: são R$ 250 milhões em obras nos municípios de Pontal do Paraná e Matinhos para ampliação de redes e ligações de esgotos, bem como a construção de estações elevatórias, totalizando cerca de 500 quilômetros de redes de esgoto.

Até o momento não houve problemas nas atividades da Sanepar e esperamos que continue assim, houve o aumento de 6% na produção de água durante esse início de temporada, mas de maneira geral o atendimento tem sido suficiente e de acordo com que as pessoas precisam”, reforçou.