Morro do Cristo em Guaratuba agora tem ducha ecológica

Desde 2014, Projeto Chuá, da Sanepar, oferece gratuitamente conforto e economia aos banhistas das praias paranaenses

Morro do Cristo em Guaratuba agora tem ducha ecológica

Há três semanas, entrou em funcionamento mais um ponto com as duchas ecológicas no litoral do Paraná. A Sanepar instalou os equipamentos no balneário Morro do Cristo, em Guaratuba, para também oferecer conforto aos veranistas daquele local. Durante a Operação Verão, os balneários do litoral paranaense contam com mais de 50 duchas instaladas em vários pontos ao longo da faixa de areia nos municípios de Matinhos, Guaratuba e Pontal do Paraná, desde 2014 quando foi implantado o piloto do Projeto Chuá.

De lá para cá, muitos banhistas têm usufruído das duchas para se refrescar e para tirar a areia do corpo na saída da praia sem nenhum custo. Somente nesta temporada, iniciada em 20 de dezembro, mais de 125 mil banhos foram registrados pelas equipes de monitores que trabalham no projeto. Além do benefício gratuito à beira mar, as duchas promovem economia na conta de água uma vez que será utilizada menor quantidade de água na hora do banho em casa.

A família de Caroline Langer Lorena, de Ponta Grossa, procurava um local para se limpar antes de ir almoçar no Morro do Cristo. Ela ficou muito feliz ao se deparar com o ponto das duchas próximo do restaurante escolhido. Junto com o marido, Klacius Ramon de Barros, e com filhos, Ramon e Miguel, Caroline disse que é importante ter um local adequado para tirar a areia do corpo, principalmente para as crianças.

Quem ficou encantada com as duchas em Morro do Cristo foi a Talita Solis, moradora de Assunção, no Paraguai. “Achei a ideia ótima, inovadora e ecológica”, afirma. Filha de mãe brasileira e de pai paraguaio, Talita diz que todas as praias deveriam ter esses equipamentos.

Amilton Vitorino, com a esposa, Darci Luzia, e as filhas gêmeas Sara e Sarita, utilizam as duchas desde 2017. Frequentador das areias de Caieiras, em Gauratuba, Amilton, que é funcionário dos Correios em Curitiba, se diz satisfeito com a pegada ecológica das duchas. “A iniciativa mostra que temos água doce pertinho do mar e que para tirar o sal e a areia ou para se refrescar não é necessário usar água tratada, própria para consumo humano”, afirma. Ele diz que tem essa preocupação ecológica. “Coleto a água da chuva para a limpeza da nossa casa”, exemplifica.

As duchas são de fácil manuseio. O próprio banhista pode bombear a água ou receber ajuda das equipes dos postos. A água utilizada na ducha passa pelo processo de filtração por meio de carvão ativado e recebe a adição de cloro. A Sanepar alerta, entretanto, que embora seja uma ótima forma de se eliminar a areia e o sal do corpo, essa água não é própria para consumo e não deve ser ingerida. Depois de utilizada, a água é devolvida ao mar.

Segundo os monitores, capacitados para o atendimento aos veranistas, as pessoas se interessam em saber de onde a água vem e como funciona o tratamento. “Tem muita gente que acha que tem um cano enterrado na areia e que é de lá que pegamos a água para as duchas.”