Secretário de Saúde regulamenta prescrição médica por meio eletrônico

Iniciativa pioneira possibilita que médicos prescrevam medicamentos e enviem eletronicamente a receita para os pacientes.

O secretário de Saúde, Beto Preto, assinou nesta terça-feira (14) a Resolução 482/2020 que regulamenta a operacionalização de prescrição médica por meio eletrônico. O documento foi pensado para atender a necessidade do distanciamento social do período de pandemia da Covid-19 e tem apoio do Conselho Regional de Medicina do Paraná.

“É uma resolução histórica, um documento importante que regulamenta a prescrição médica de medicamentos de forma eletrônica nos atendimentos de telemedicina. Demos um passo à frente, o Paraná deu um passo adiante no que se refere a tecnologia e soluções que trazem dinamismo ao atendimento de cidadãos paranaenses”, afirmou o secretário da Saúde.

COMO FUNCIONA – Uma plataforma desenvolvida pelo Conselho Regional de Medicina do Paraná foi disponibilizada para que todos os médicos registrados no Estado possam emitir de forma virtual a receita médica. O profissional acessa a plataforma com seus dados, prescreve o medicamento e assina eletronicamente a receita.

A prescrição médica deverá conter nome do paciente, data da emissão, identificação do profissional de saúde e seu número de CRM, assinatura por certificação digital, código de autenticação documental. Essa forma de dispensação médica está permitida para prescrições de medicamentos de receita comum, antimicrobianos e de uso controlado, exceto os remédios que constam na Portaria 344/98 da Anvisa que regula medicamentos de controle especial (de receituário azul e amarelo).

O paciente pode imprimir ou enviar online a receita para a farmácia de sua preferência. O estabelecimento deve dispor de recurso para verificar o documento, validar a receita, garantir a autenticidade, integridade e validade jurídica ao documento. Essa consulta será realizada a partir dos dados profissionais do médico, com o número de registro no Conselho Regional de Medicina do Paraná.

A farmácia também será a parte responsável por verificar no sistema do CRM-PR se a receita apresentada já foi utilizada em outro estabelecimento. Caso a consulta apresente a utilização anterior do documento em outra farmácia, a nova aquisição será bloqueada.

As receitas emitidas de forma eletrônicas serão válidas para farmácias públicas e privadas. Basta o estabelecimento estar validado na plataforma do CRM-PR. “Com isso pretendemos auxiliar as pessoas a evitarem e reduzirem as saídas de casa”, comenta Beto Preto.

A Resolução 482/2020 teve apoio da Associação Médica do Paraná, do Conselho Regional de Farmácia, foi aprovada pelas equipes técnicas da Secretaria de Estado da Saúde e validada no Centro de Operações Especiais da Sesa que atua na discussão, regulação e direcionamento de ações para o enfrentamento da Covid-19 no Paraná.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
  • Cotações do dia