“O PL da Ilha só pode ser aprovado com a aceitação das emendas incluídas no 2º turno”, diz o deputado Goura.

O Projeto de Lei 262/2020 proposto pelo Governo Ratinho Jr., que altera a Lei nº 16.037/2009 e cria novos planos de Controle Ambiental e de Uso e Ocupação do Solo para a Ilha do Mel recebeu 20 emendas na sessão desta quarta-feira (3) e voltará a ser apreciado na próxima sessão remota da Assembleia Legislativa (Alep), que acontecerá na segunda-feira (8). Antes, porém, as emendas serão analisadas na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

“Nós esperamos que o governo cumpra a sua palavra, que é de aprovação do projeto de lei com as emendas, pois elas melhoram o texto original”, declarou o deputado Goura, presidente da Comissão de Ecologia, Meio Ambiente e Proteção dos Animais e da Comissão de Direitos Humanos e da Cidadania da Alep. “A aprovação deste projeto só é aceitável com as emendas, que foram construídas com a participação dos moradores, MP, sociedade civil e o apoio de diversos deputados.”

20 emendas

Goura explicou que das 20 emendas protocoladas na sessão desta quarta, 12 são de autoria do mandato, com a participação de diversos parlamentares, advogados ambientalistas, moradores e suas associações, além de outras colaborações. “É o resultado de um trabalho coletivo e colaborativo. Por isso, a aprovação deste PL deve contemplar também a aprovação das emendas”, disse.

Assinaram as emendas os deputados Hussein Bakri, Paulo Litro, Mabel Canto, Tadeu Veneri, Soldado Fruet, Requião Filho, Professor Lemos, Michele Caputo, Luciana Rafagnin, Evandro Araujo, Delegado Recalcatti, Boca Aberta Junior, Arilson Chiorato, Tião Medeiros, Luiz Fernando Guerra e Anibelli Neto.

Confira as 12 emendas

Tramitação

“Esta seria a segunda votação do projeto, que foi aprovado em primeira discussão por 45 votos favoráveis, na terça-feira (2). É quando se discute o mérito, mas como o PL da Ilha recebeu emendas ele automaticamente é retirado de pauta e, como está em regime de urgência, volta na próxima sessão, na segunda, dia 8, depois de passar pela CCJ”, explicou o deputado.

Crítica ao regime de urgência

“Primeiro de tudo, há uma falha e um problema de falta de respeito com o devido processo legislativo por parte do Governo do Estado nessa votação do PL da Ilha”, criticou Goura. “A gente deveria estar discutindo o projeto em outro momento, não durante a pandemia e não em regime de urgência”, completou.

Goura disse que a Comissão de Meio Ambiente e a Comissão de Direitos Humanos, presidida pelo deputado Tadeu Veneri, tiveram que promover uma audiência pública on-line, que aconteceu na segunda-feira (1), para fazer um debate público sobre o projeto. “De certa forma nós agimos para tentar fazer uma política de redução de danos”, comparou Goura.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
  • Cotações do dia